2 de outubro de 2009

Doença: um momento de instrospecção


Vamos pensar aqui um pouco sobre a nossa atitude em relação a um momento de doença. Quando adoecemos e então não podemos cumprir nossas obrigações da vida mundana (trabalho, estudos etc.), procuramos logo um médico, em busca de um remédio que anule rapidamente os efeitos da doença, a fim de voltarmos tão logo quanto seja possível à nossa vida cotidiana. Para nós, doença é apenas isto: um contratempo entre dois momentos de atividade externa, que deve ser superado o mais rápido possível.
Mas será que há alguma outra maneira de encarar a doença? Qual seria um possível enfoque espiritual deste tema? Que outro significado além de um simples contratempo ela poderia ter?
Para citar apenas um exemplo, na vasta literatura xamânica lemos que a doença pode ser um momento espiritual muito importante. Que é durante um período de doença grave (ou mesmo experiência-próxima-da-morte) que muitos indivíduos de povos nativos os mais diversos são identificados como futuros xamãs, ao demonstrarem ser capazes de curar a si mesmos. Lemos também que estes futuros xamãs muitas vezes têm visões com espíritos desencarnados, animais de poder e outros seres, que lhes ensinam a arte da cura. Estes casos, relatados em muitos livros de antropologia e/ou xamanismo, mostram como a doença pode ser um momento crucial, que irá mudar para sempre a vida do doente. Pode ser o evento que irá despertar um indivíduo para a sua busca espiritual.
Tais casos são, é claro, extremos e raros. Mas podem nos servir de exemplo sobre como encarar os momentos de doença mais leves a que estamos sujeitos em nossa vida. Se casos de doenças graves ou experiências-próximas-da-morte podem revelar ao doente algo sobre si mesmo, seu destino pessoal, seu motivo de estar aqui, não podem então doenças mais leves trazer também o seu ensinamento?
Sim, podem fazê-lo – e fazem-no. Quando ficamos doentes, incapazes de cumprir com nossas obrigações cotidianas, nosso corpo está nos dando um recado claro: "PARE! Pare por um instante! Desvie um pouco a sua atenção da vida exterior para a vida interior." Está nos dizendo que estamos dando pouca atenção para o nosso Espírito e que este tem algo a nos dizer, um ensinamento a nos passar. Como não o estamos ouvindo, tão ocupados que estamos com nossos afazeres exteriores, ele tem que nos fazer ficar doentes para nos darmos a trabalho de simplesmente dar-lhe um pouco de atenção.
Então, quando ficamos doentes, devemos, sim, procurar tratamento com um médico. Fazer de modo diferente seria loucura. Mas devemos também fazer outra coisa: mudar a maneira como encaramos a doença. Ela não é simplesmente um momento de inatividade, em que nos tornamos inúteis e inválidos. É um momento de INTROSPECÇÃO. Momento de ouvir o que o Espírito tem a nos dizer e a que não estamos prestando atenção.
Quando doentes, deveríamos ficar menos preocupados em nos recuperarmos rápido para voltarmos aos nossos afazeres e dar satisfações ao mundo exterior, e mais em buscarmos um pouco de reclusão e aprender com o momento. É claro que nem todos podem simplesmente parar totalmente de um a três dias para que fiquemos em reclusão, ouvindo a voz de nosso Espírito. Pois o mundo não pára e não está preocupado em se temos algo a aprender com este momento ou não. Mas, mesmo aquele que está cheio de responsabilidades sobre suas costas, pode aproveitar a hora comumente dedicada ao "lazer doméstico" (novela, brincar com os filhos etc) e dedicá-la à introspecção e à meditação.
E nesse momento, deveria chamar seus guias espirituais, seus aliados, fazer suas orações e perguntar: "por que estou doente? O que esta doença tem a me ensinar? Que orientação meu Espírito está tentando me passar e que eu não estou ouvindo?".
Em seguida, deveria esperar. Esperar em silêncio, no estado mais receptivo possível. Pois a resposta virá. E será com certeza uma resposta importante. Talvez não venha anunciar uma mudança radical, como tornar-se um xamã ou abandonar seu lar e pátria e ir viver como andarilho no Nepal... Mas certamente trará alguma advertência sobre algo de errado que tem feito em sua vida, ou a confirmação de que deve trilhar um caminho que não tinha certeza se deveria trilhar, ou a orientação sobre como dar um melhor prosseguimento a um plano já traçado, ou qualquer outro sinal do gênero.
Qualquer que seja a experiência que aquela doença estiver favorecendo no momento em que você estiver doente, podemos ter certeza de uma coisa: ela traz consigo um sinal do Espírito, que demos aprender a ver, ouvir e seguir. Portanto, OUÇAMOS A VOZ DO ESPÍRITO!

Gabriel Meissner
Fonte: http://vidaemharmonia.blogspot.com
Share/Bookmark

2 comentários:

Sandra Baptista disse...

Obrigada, minha querida, pelo selo que me ofereceu! Agradeço de coração, e já ofereci aos amigos também!!! obrigada! Beijos, Sandra

Sandra Baptista disse...

Olá, minha querida! Muito obrigada pelo selo oferecido, viu! Agradeço de coração!!! Já postei o selo aos blogs amigos!!! Mais uma vez, obrigada! Beijos e luz, Sandra

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...