5 de outubro de 2009

Espiritualidade se mostra no dia-a-dia

O que é a iluminação?

  • Para alguns um processo místico que ocorre quando a energia representada por uma Serpente e conhecida como Kundalini é desperta e sobe pela coluna vertebral atingindo o Sahashara Chakra, localizado no topo de nossa cabeça. Esta Kundalini está localizada no Muladhara Chakra que é nosso centro energético localizado próximo a base de nossa coluna.
  • Para outros um processo endócrino pela liberação de um hormônio pela glândula Pineal. Segundo o Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, médico, pesquisador do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo, em seu estudo sobre a pineal, chegou à seguinte conclusão: "A pineal é um sensor capaz de ver o mundo espiritual e de coligá-lo com a estrutura biológica. É uma glândula, portanto, que 'vive' o dualismo espírito-matéria".
Mas independente do que acreditamos ser o estágio final da iluminação e como ele ocorre, estive pensando sobre o processo, a busca. Para que nós buscamos a iluminação?
Para estarmos em estado de consciência elevada, certo? Estado este conhecido como Samadhi, estado Búdico, Nirvânico, de Consciência Crística ou, como citado no Livro de Alexandre Campelo: “Jesus, o Cristo Yogue”, o estado de Kutastha Chaitanya (Kutastha = o que está em cima, no cume, na cúspide, situado no alto. + Chaitanya = espírito, inteligência, pureza).
Mas para que serve este estado se não para ajudar as pessoas? Será que todos que buscam este estado de supra-consciência sabem que este caminho é difícil, exige disciplina, auto-observação, é trilhado sozinho mas ao atingí-lo o resultado deixa de ser individual e passa a ser coletivo?
O que fizeram alguns seres citados a seguir, dos inúmeros iluminados que já estiveram entre nós, senão ajudar outras pessoas a encontrar este mesmo caminho: Sidarta Gautama, Jesus Cristo, Paramahansa Yogananda, Swami Shankaracharya, Lahiri Mahasaya, Swami Vivekananda, Swami Sivananda, Yukteswar, Moisés, Lao Tsé, Confúcio, dentre outros.
Através de meus estudos sobre a vida, por enquanto, de Sidarta Gautama e de Jesus Cristo, tenho a convicção que a espiritualidade de uma pessoa se mostra no dia-a-dia, nos relacionamentos, nas reações diante das adversidades, nas atitudes e nos gestos. Por isso que considero o estado de iluminação como um resultado coletivo, pois quando você muda seu comportamento, suas atitudes, seus gestos e neles só existem amor, respeito e gratidão, você transforma o ambiente e as pessoas que estão ao redor. Pois de nada adianta ser uma pessoa “espiritualizada” dentro de uma sala ou em um parque durante um processo meditativo e ao término voltar “ao mundo” mantendo suas atitudes grosseiras e seus relacionamentos conturbados.
Fica claro para mim que o processo de meditação nada mais é que uma base, um alicerce. Meditamos para que possamos aquietar nossa mente e despertar a nossa consciência, nos aproximando assim de nossa essência, do sagrado que há em cada um de nós. E finalizando o processo meditativo em sala, precisamos manter este estado meditativo em nosso dia-a-dia, não com os olhos fechados e em postura meditativa, mas em nossos relacionamentos, nas atitudes, nos gestos. Pois o que há em nossa essência senão a amor de Deus e incondicional.
Luz e paz há todos nós.
Glauco Tavares
Fonte: http://www.serhumanosemfronteiras.com/artigos.asp?t=89

Share/Bookmark

Nenhum comentário: