27 de outubro de 2009

A vigília é o caminho para a vida


Está vivo só na medida em que está acordado. A consciência é a diferença entre a vida e a morte. Não está vivo só por estar respirando, não está vivo só porque seu coração pulsa. Fisiologicamente, te pode manter vivo em um hospital, sem nenhuma consciência. Seu coração seguirá pulsando e será capaz de respirar. Assim te pode manter em um estado mecânico de modo que siga vivo durante muitos anos... no sentido de que respira e o coração pulsa e o sangue circula. Nos países avançados do mundo há atualmente muitas pessoas que simplesmente vegetam nos hospitais, porque a tecnologia avançada faz possível que sua morte se adie indefinidamente. Te pode manter vivo durante anos. Se isso for vida, então te pode manter vivo. Mas isso não é vida, nem muito menos. Limitar-se a vegetar não é viver. Os budas têm uma definição diferente. Sua definição se apóia na consciência. Não dizem que está vivo porque pode respirar, não dizem que está vivo porque seu sangue circula; dizem que está vivo se estiver acordado. Assim, com a exceção dos
acordados, ninguém está verdadeiramente vivo. São cadáveres que andam, falam e fazem coisas, são robôs.
A vigília é o caminho para a vida, diz Buda. Acordado e estará mais vivo. E a vida é Deus. Não há outro Deus. Por isso Buda fala da vida e a consciência. A vida é o objetivo e a consciência é a metodologia, a técnica para alcançá-lo.
Osho, in
Consciência
Share/Bookmark

4 comentários:

ONG ALERTA disse...

Sim estar vivo é se sentir vivo, ter sentimentos e paz no coração.

REGINA GOULART SANTOS disse...

São questões bastante polêmicas, que envolvem aspectos religiosos, éticos, e jurídicos.
É realmente muito triste a situação de um ser que literalmente vegeta em um leito hospitalar.
Existem também pessoas, que mesmo com o vigor da mocidade, ou em idade adulta, que mesmo possuindo uma boa saúde, se suas mentes não funcionarem, elas simplesmente existirão sem encontrar o significado da palavra viver.
Bjs.
NAMASTÊ

Ana Jácomo disse...

Querida, se o meu jardim traz algum deleite a você, devo estar trilhando o caminho genuíno do coração. :)
Que paz, aqui. Eu me sinto irmanada. Em casa.
Namastê, com a intenção mais pura.
Beijos

Padma Shanti disse...

Quando você (s) diz(em) que se sente (m) em casa aqui, neste cantinho, significa que você (s) volta(m) ao verdadeiro lar, seu Ser, sua essência. Se consegui proporcionar isso também me sinto em casa, agradeço a Deus e a todos pela oportunidade. Namastê!