5 de novembro de 2009




Raiva e tristeza são ambas a mesma. A tristeza é raiva passiva e raiva é tristeza ativa. Devido a que a tristeza chega fácil, a raiva parece ser difícil porque você está muito em sintonia com o passivo.
É difícil para uma pessoa triste ficar com raiva. Se você puder fazer uma pessoa triste ficar zangada a tristeza dela irá desaparecer imediatamente. Será muito difícil para uma pessoa raivosa ficar triste. Se você puder fazê-la triste, a raiva dela irá desaparecer imediatamente.
Em todas nossas emoções a polaridade básica continua – do homem e da mulher, yin e yang, o macho e a fêmea. Raiva é macho, tristeza é fêmea. Então se você estiver em sintonia com a tristeza, é difícil mover-se para a raiva, mas eu gostaria que você se movesse. Só explodi-la dentro não irá ajudar muito porque novamente você estará procurando algum meio de ser passivo. Não. Traga-a para fora, expresse-a. Mesmo que pareça bobagem, seja um bufão para você mesmo, mas traga-a para fora.
Se você puder flutuar entre a raiva e a tristeza, ambas se tornam igualmente fáceis. Você terá uma transcendência e assim você será capaz de observar. Você pode ficar por trás da tela e observar esses jogos, e então você pode ir além de ambas. Mas primeiro você precisa se mover facilmente entre ambas, do contrário você tende a ficar triste e quando a pessoa fica pesarosa, a transcendência fica difícil.
Lembrem-se, quando duas energias, energias opostas, são exatamente iguais, meio a meio, dessa forma é muito fácil sair fora delas, porque elas estão lutando e cancelando uma a outra e você não fica nas garras de ninguém. Sua tristeza e sua raiva estão meio a meio, energias iguais, assim elas se anulam uma a outra. Subitamente você fica em liberdade e você pode sair fora. Mas se a tristeza for setenta por cento e a raiva trinta por cento, então é muito difícil. Trinta por cento de raiva em contraste com setenta por cento de tristeza significa que quarenta por cento de tristeza ainda estará lá e não será possível, você não estará capacitado de sair fora facilmente. Esses quarenta por cento irão pairar sobre você.
Portanto, essa é uma das leis básicas das energias internas – sempre deixar os opostos polares chegarem numa posição igual, e assim você será capaz de sair fora delas. É como se duas pessoas estivessem brigando e você pode fugir. Elas estão tão engajadas com elas mesmas que você não precisa se preocupar e você pode escapar. Não ponha a mente nisso. Apenas faça disso um exercício.
Você pode fazer disso um exercício diário; esqueça de esperar isso acontecer. Todo dia você precisa ficar zangado – isso será mais fácil. Então pule, exercite-se, grite e traga a raiva. Uma vez que você for capaz de trazê-la sem nenhum motivo, você ficará muito feliz porque agora você tem liberdade. Do contrário, a raiva é dominada pelas situações. Você não é um mestre dela. Se você não pode trazê-la, como você pode abandoná-la? Gurdjieff costumava ensinar seus discípulos nunca começar abandonando coisa alguma. Primeiro comece trazendo para dentro, porque só a pessoa que pode criar a raiva à vista pode ser capaz de abandoná-la à vista – matemática simples. Assim Gurdjieff diria a seus discípulos para primeiro aprender como ficar com raiva. Todos estariam sentados e subitamente ele diria, “Número um, fique de pé e com raiva!” Isso parece tão absurdo.
Mas se você puder trazê-la… E ela está sempre disponível, bem perto, você só precisa puxá-la para dentro. Ela vem facilmente quando ninguém provê uma desculpa. Alguém lhe insulta – ela está lá. Assim porque esperar pelo insulto? Porque ser dominado pelo outro? Porque você não pode trazê-la você mesmo? Traga-a por si mesmo!
No princípio parece um pouco inconveniente, estranho, inacreditável, porque você sempre acreditou na teoria de que é outro alguém cujo insulto criou a raiva. Isso não é verdade. A raiva sempre esteve lá, alguém apenas deu uma desculpa para ela aparecer. Você pode dar uma desculpa a si mesmo. Imagine uma situação na qual você ficaria com raiva e fique raivoso. Fale para as paredes e diga coisas, e logo a parede estará falando para você. Apenas fique completamente maluco. Você precisa trazer a raiva e a tristeza para uma posição similar, onde elas fiquem na mesma proporção uma para a outra. Elas irão anular uma a outra e você pode cair fora.
Gurdjieff costumava chamar isso de “a maneira do homem astuto” (the way of the sly man) – trazer energias internas para um conflito tal que elas fiquem engajadas anulando uma a outra, e você tem a oportunidade de escapar. Tente isso, hum?

Osho
Fonte: http://www.osho.com


Share/Bookmark

2 comentários:

Carmem L Vilanova disse...

Gostei muito do teu blog e ja me tornei seguidora... os textos que aqui encontrei sao muuuuuuuuuuuuuuuito bons e vale a vale muito a pena parar e "perder" um tempinho para ler e refletir...
Virei muitas outras vezes!
Beijos, flores e muitos sorrisos
Carmem
Eu Sei Que Vou Te Amar
Viver Integral

alegria de viver disse...

Olá
Achei o texto muito ilustrativo, fiquei lendo com atenção e realmente funciona desse jeito.
Com muito carinho BJS.