13 de novembro de 2009




VIDA, AMOR, RISO 
 

Para alcançá-la, há quatro passos a serem lembrados. Primeiro: esteja aqui e agora, pois o amor só é possível no aqui-agora. Você não pode amar no passado. Muita gente faz isso, mas você não pode realmente amar no passado. Muitas pessoas vivem simplesmente na memória – elas amaram no passado. E há outras que amam no futuro – isso também não pode ser feito. Essas são maneiras de se evitar o amor: o passado e o futuro são os meios para se evitar o amor. Assim, ou você ama no passado, ou você ama no futuro – e o amor só é possível no presente, porque só neste momento a vida e a morte estão se encontrando... no intervalo escuro dentro de você. Esse intervalo escuro está sempre presente, sempre presente, sempre presente. Ele nunca é passado e nunca é futuro.
Se você pensar muito – e o pensamento está sempre no passado ou no futuro – suas energias serão desviadas do sentir. O sentimento é aqui-agora. Se suas energias estiverem se dirigindo para o padrão do pensamento, então, você não terá quantidade suficiente de energia para se mover no mundo dos sentimentos – e o amor não será possível.
Assim, este é o primeiro passo: esteja aqui-agora. Futuro e passado trazem o pensamento; o pensamento destrói o sentimento. E uma pessoa muito obcecada com o pensamento, em pouco tempo se esquece completamente de que também tem um coração. Um homem que vive muito nos pensamentos, pouco a pouco começa a progredir de um tal jeito, começa a viver de uma tal maneira, que o sentimento não tem mais voz. Sem ouvir o sentimento, em pouco tempo, o sentimento começa a se distanciar dele. Há milhões de pessoas nesse estado, sem saber o que significa o coração. Elas pensam que o coração é apenas uma bomba. Toda a concentração delas está na cabeça. A cabeça é uma extremidade; ela é necessária, é um bom instrumento, mas tem de ser usada como um servo. Ela não deve ser o mestre. Uma vez que a cabeça se torne o mestre e o coração seja deixado para trás, você viverá, você morrerá, mas você não saberá o que é deus, porque não saberá o que é o amor.
O mesmo intervalo escuro, ao primeiro contato, parece amor... e quando você se perde inteiramente nele, ele torna-se deus. O amor é o começo de deus – ou deus, o supremo pico do amor.

Osho, in
Vida, amor, riso


Share/Bookmark

5 comentários:

Peregrina da Luz disse...

Muito seu bom seu blog. Obrigada por me seguir, estou acompanhando você também. abraço

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Osho, na maioria de seus livros, coloca essencialmente que é necessário a cabeça como ligação com o racional. Porém, a razão deve ficar a serviço do coração, da intuição, do sentimento. Seus ensinamentos são muito bonitos e favorecem reflexões muito importantes na nossa forma de viver aqui no Ocidente. Beijos.

Sarah El Khouri disse...

Uma vez me disseram: "somos deuses, mas ainda deuses não somos."(...) Penso que o Senhor da vida nos criou deuses com poderes imensos a serem desenvolvidos, mas nós ainda nao os desenvolvemos, por isso não assumimos nossa condição de deuses. Penso que o amor, em sua forma mais plena que nos fara alcançar esta condição.
abraço
Você falou do amor de um jeito muito sabio e profundo.
Vivamos o amor hoje!

Dilean de Bragança disse...

"...o amor só é possível no presente, porque só neste momento a vida e a morte estão se encontrando...no intervalo escuro dentro de você..." M A G N Í F I C O!! Como me fez refletir esse post...Acho que todos deveríamos refletir um pouco sobre! Parabéns tb por isso!
Fique bem. Bjus poéticos.

ANJA! disse...

AMEI este teu post...
li,chorei,pois é verdade.
cada coisa no seu tempo...
passou...foi bom? ainda bem...
agora para a frente e viver para o agora e pensar no amanhã.
nunca deixar de fazer planos.
a cabeça tem que ser usada como servo...
é uma verdade,pois ela pode-nos destruir...
e é necessário pensar com o coração.
Que tenhas uma boa e feliz semana.
beijo em tuas asas!
ANJA