12 de março de 2010



ACIMA DE TODOS NÓS

O sistema Universal não funciona com determinismos. Se assim fosse não seria necessário ter  vida em evolução. Deus deu individualidade aos seres, livre arbítrio, possibilidade de escolha e mudança. Tudo interligado, o homem, a Natureza  e o Universo com causa e efeito.
Vamos expandir a evolução das vidas para a Natureza. De forma semelhante, há um caminho original na formação do Universo físico, mas também há influências infinitas neste meio e, dentre estas, estão os outros planetas, meteoros, galáxias, "universos" e, no diminuto, as influências do homem na Natureza.
Vejam que as interligações são complexas, lentas no tempo do homem, mas efetivas, acontecem. Fazem parte do complexo sistema da evolução, não apenas do Homem, mas do Universo dito físico.
O processo de evolução só pode ocorrer por mudanças, por alterações. Sem elas não há como crescer, tudo estaria estático, tudo estaria previamente determinado, cessando o processo de evolução, mesmo sendo dinâmicos os acontecimentos.
A Terra, um dos elementos da evolução Universal, sofre suas alterações, algumas por influências de seus habitantes, outras por influências de sua Natureza, do Universo a que pertence.
Quando ocorrem alterações mais significativas podem atingir outras partes do grande conjunto, influenciando  os seres que a habitam.
Estas alterações, quando sensíveis aos seres em seu tempo, são denominadas "catástrofes", como terremotos, furacões, erupções e outras forças de mutações  naturais.
Muitas vidas podem ser influenciadas e, até mesmo, interrompidas. Apesar de parecer cruel em primeiro plano, faz parte do grande processo da evolução.
Não devemos entender como castigo ou mando de Deus. É um processo no qual todos estão inseridos, sem exceção, mas, também, não devemos entender que há um jogo de dados no Universo, que todos nós estejamos sujeitos à simples casualidade.
Para compreender melhor, temos que ter em mente que o processo de evolução não se dá em uma vida apenas, se dá em milhares de anos, na realidade, nunca cessa. Para quem imagina que o homem tem uma única existência pode parecer que há injustiças e até mesmo azares.  Vamos dar um exemplo.
Em sua vida você, um dia, se cortou com uma faca. Se tirassem, no momento do corte, uma fotografia e mostrassem-na como sendo sua vida, você seria, eternamente ou unicamente, uma pessoa "cortada", machucada. Agora, se fosse feita uma série de fotografias, poderiam ver que logo após o corte houve um curativo, cicatrização e, muito em breve, não haveria mais lembranças deste corte. Mas você, a partir de então, se cortaria menos, pois  seu interior teria aprendido a respeito das facas.
Não podemos ver nossas vidas como uma fotografia de uma existência, precisamos ver o filme que está sendo feito eternamente. O que fizemos no "passado" tem influências em nosso "presente" e "futuro".
Voltamos a alertar que há  uma interligação entre todos os acontecimentos,  há o livre arbítrio, mas o carma prevalecerá quando vemos o filme passar, ou seja, vemos não apenas o momento de uma única existência, mas o conjunto de várias vidas. Nossos atos e decisões fazem influências no Universo e nosso carma será determinado.
Quando compreendermos melhor este complexo e interligado mecanismo da evolução, poderemos aceitar, no global, os sofrimentos e dificuldades que enfrentamos.
A Lei que rege de maneira perfeita a Evolução universal é o Amor. Praticando-o, o eterno crescimento estará sendo formado.
Fonte: http://www.aumpram.org.b  

Share/Bookmark

Nenhum comentário: