4 de março de 2010


O que é a mediunidade?

É a faculdade que todos, sem exceção temos de intermediar. Médium é uma expressão que vem do latim e significa intermediário. É uma faculdade psíquica ou sensibilidade extra-física. Está presente em todas as pessoas. Sempre! O que difere é que em algumas ela aparece pouco evidente, enquanto que em outras se mostra desenvolvida, aguçada.
Em resumo, todos somos médiuns, alguns mais desenvolvidos, outros menos. A maior parte das pessoas desconhece esse fato.
Quais os tipos mais comuns de mediunidade?
A mediunidade pode ocorrer de várias formas, vamos citar apenas algumas mais comuns como a vidência - enxergar com olhos nus, clarividência - enxergar com os olhos da mente, clariaudiência - ouvir sons, psicografia - a canalização e escrita de mensagens, a projeção astral - quando o corpo espiritual da pessoa sai consciente de seu corpo físico em repouso, podendo viajar para outros espaços ou dimensões. Em todos os casos, sempre há captações sensoriais de vibrações, imagens, inspirações, palavras, que vem de fontes extra-físicas, nunca anímica.
A premonição, que é a capacidade de sentir o que está por acontecer, antes mesmo que aconteça, é uma típica forma de mediunidade. Além da leitura de pensamentos, que muito fazemos, sem mesmo saber que estamos fazendo. Isso acontece com freqüência, quando se sabe o que o outro vai falar, antes mesmo de começar a verbalizar.
Como a mediunidade se manifesta na vida da pessoa?
A manifestação da mediunidade ocorre na pessoa assim como qualquer outro aspecto da personalidade. A pessoa que dança, faz por sentir afinidade com a prática.
Quem pratica um esporte é a mesma coisa. Existem muitas coisas que afloram em nós a qualquer momento, vontades, tendências, iniciativas e principalmente aspectos da personalidade como alegria, amor, ciúme, posse, fé, confiança, comodismo, etc. Os dons ocultos, também surgem o tempo todo nas pessoas, quando elas percebem muita aptidão para uma prática específica.
Ocorre que a mediunidade é exatamente igual, aflora naturalmente de nossa essência. Mas como ignoramos o fato de sermos espíritos tendo experiências no plano físico, criamos toda uma polêmica e uma atmosfera de medo quando ela surge.
É bom ou ruim desenvolver a mediunidade?
A mediunidade não é boa nem ruim! Ela simplesmente é a condição que a pessoa precisa para evoluir. Bom ou ruim pode ser sua forma de utilização, que depende da moral e da integridade de cada um, ou seja, dos princípios e valores da pessoa.
Qual é a minha responsabilidade quanto a mediunidade?
A mediunidade acarreta aumento de sua responsabilidade, no sentido de utilizar com sabedoria suas percepções extra-físicas. Afinal, esse dito "dom" da mediunidade, acaba tornando a pessoa alguém "diferente", o que não é verdade... Essa "diferença", perante o estilo de vida aqui na Terra pode gerar muitas conseqüências negativas se a moral e os princípios do médium não forem voltadas para o bem maior da humanidade e sua evolução pessoal.
O que é um médium?
Todo espírito presente nesse planeta, que se manifestando fisicamente em um corpo denso, é um médium.
O que ocorre é o fato de que poucos são médiuns conscientes e dedicados. O médium aplicado na busca da evolução espiritual individual e coletiva, pode ser considerado um ponto de luz no universo, um ser desperto na sua missão de contribuir para a evolução do planeta.
Como saber se sou um médium?
Todos somos médiuns, alguns mais desenvolvidos, outros menos. A maior parte das pessoas desconhece esse fato.
É uma faculdade psíquica ou sensibilidade extra-física. Está presente em todas as pessoas. Sempre! O que difere é que em algumas ela aparece pouco evidente, enquanto que em outras se mostra desenvolvida, aguçada.
Um médium é alguém que trabalha na casa espírita?
Os grupos espíritas, aqui no ocidente, foram os primeiros a abordar esse tema, que para muitos era assunto ocultista e até alvo de rejeição e preconceito.
Os centros espíritas foram os pioneiros a popularizar o termo mediunidade, trazendo informação, esclarecimento e oportunizando que as pessoas interessadas pudessem estudar e aplicar a mediunidade em práticas específicas.
Desde que começou esse movimento e se estabeleceu essa forma de ajuda oferecida pelos centros, muitas pessoas têm vinculado o termo mediunidade unicamente ao estudo espírita.
Volte o pensamento para história da humanidade.
Pense no mestre Jesus. Ele foi um incrível médium! Dotado de percepções e sensibilidades incríveis. Ele não ia na casa espírita. E na Índia, berço de Grandes Mestres da Humanidade. Não havia centros espíritas. Pois então, como esses Grandes Seres desenvolveram suas faculdades mediúnicas?
Através de diversas práticas, com disciplina, dedicação e muito altruísmo consciente. Portanto é muito legal a pessoa procurar locais que possam proporcionar ajuda para o médium compreender esse mecanismo todo, no entanto não é imprescindível e depende da vontade e da afinidade de cada ser, pois existem muitas formas de lapidar a mediunidade.
Como desenvolver a mediunidade?
Mergulhando na proposta que a mediunidade traz que é: Evolução, Crescimento, Reforma Íntima, ou seja a busca pela espiritualidade. Fazendo da busca pela consciência espiritual um estilo de vida, com aplicação, dedicação e disciplina.
Qual é a mensagem por trás do afloramento da mediunidade em qualquer pessoa?
O que o universo quer dizer quando a mediunidade se manifesta?
Quando a mediunidade aparece, é um sinal dizendo: Está na hora de evoluir espiritualmente e sair do sono evolutivo que sua alma está. É um sinal que avisa que chegou o momento de se tornar útil para o universo, ajudando Deus Pai, Nosso Criador em Sua missão, que é a evolução espiritual em massa. É por isso que ela aflora.
Simplesmente porque todos nós temos que trabalhar nossa mediunidade, já que temos que contribuir para a evolução consciente do universo.
E se eu não quiser essa mediunidade?
Não temos como impedir os ciclos naturais, não dá para trancar a evolução do universo. O normal de um gato é miar, de um cão, latir, da água ser molhada e do fogo ser quente. Quem pode mudar isso?
E o mecanismo da mediunidade precisa ser entendido para que não haja rejeição, medo ou insegurança. Se você desistiu de desenvolvê-la, lapidá-la, irá também arcar com a conseqüência, inegavelmente.
Nosso livre arbítrio sempre é respeitado, no entanto a nossa decisão nunca terá o poder de reter o fluxo evolutivo do universo. Como já sabemos, se não aprendemos pelo amor, precisamos provar da dor, a escolha é sempre de cada um.
Quais são os maiores desafios para quem desenvolve e utiliza essa mediunidade no dia-a-dia?
Usar a mediunidade como um instrumento para melhorar a humanidade.
Aprender utilizá-la de forma honesta, idônea, voltada para o bem maior.
Colocando-se permanentemente como instrumento de ajuda para a evolução da humanidade.
Deixar a energia grandiosa de Deus fluir, pela bondade e pelo amor.
Se o médium souber trilhar sua vida com humildade, constância de propósito, usando essa força com discernimento, também poderá viver inserido em uma atmosfera espiritual linda, agradável, amorosa, verdadeiramente encantadora. É preciso ficar atento, sempre, a todo instante. Orai e vigiai é a cartilha que o médium deve seguir.
Como usar essa mediunidade na prática?
O indivíduo com a consciência e discernimento, aprende a aproveitar as percepções dos outros planos mais sutis, trazendo esse conhecimento das dimensões superiores, para o plano físico. Acessando informações, mensagens, percepções e orientações que podem contribuir muito na evolução pessoal e coletiva.
Texto: Apostila do Curso de Evolução Espiritual Luz da Serra
Por: Bruno J. Gimenes e Patrícia Cândido

Share/Bookmark

Um comentário:

Renata disse...

Muito esclarecedora a mensagem, um texto bem completo que nos enriquece quando estamos dando nossos primeiros passos na caminhada da evolução abraços e obrigado!