19 de março de 2010

SÍNDROME DO ABANDONO EM CÃES E OS FLORAIS DE BACH



"Devemos ser mais tolerantes, indulgentes e compreensivos quanto à diferentes formas pelas quais cada indivíduo e cada coisa trabalha pela sua perfeição final." (Edward Bach).
Segundo o médico veterinário, Dr. Carlos Renato Murta, "síndrome de abandono, é um estado anormal de euforia, em que o cão fica quando seu proprietário chega em casa. Ele lambe o dono, pula e late - inicialmente. Com o passar do tempo, o cão pode apresentar tremores por todo o corpo, latir desesperadamente, ter descontrole de urina e fezes, até chegando a desmaiar ou convulsionar, nos casos mais graves. Isso não é saudade - é uma doença comportamental e, deve ser tratada pois, causa muito sofrimento ao cão."
A síndrome do abandono, é uma alteração comportamental, cuja principal característica é a angústia, o sofrimento excessivo do cão, a cada vez que seu dono sai, mesmo que por poucos minutos. Esta doença tem caráter progressivo e, o cachorro vai alterando os sintomas para pior, usando, até mesmo de estratégias, para evitar o afastamento de seu dono - vomitar, mancar, etc. O animal começa a tiranizar seu proprietário.
Os cães são animais que possuem comportamento de grupo, de matilha, desde seus ancestrais, os lobos. Têm regras sociais e hierárquicas, muito complexas. O objetivo é a sobrevivência da comunidade. Assim, os cães, tendem a demonstrar estresse, frustração e ansiedade quando deixados sozinhos. O homem, quando domesticou o ancestral do cão, interferiu no equilíbrio que havia no bando, criando problemas de identidade nesses animais. Devido à crescente humanização, eles vêm apresentando problemas de comportamento.
O cão terá sempre, por herança genética, comportamento social, de matilha e, não gosta de ser deixado sozinho. Para o cão, o ser humano faz parte do seu grupo e, geralmente, ele vê seu dono como líder. A matilha necessita de um líder que, é aquele que protege os demais e impõe regras para que a matilha prospere.
Na síndrome do abandono, o proprietário, muitas vezes, começa inadvertidamente, a incitar este tipo de reação no cão, pois, quando chega em casa, faz carinhos muito intensos e excessivos . O cachorro "aprende" esta forma de reagir, querendo, cada vez mais, receber atenção do líder.
Em casos mais graves, o veterinário deve ser consultado, para medicar o animal, para diminuir a ansiedade e tensão.
Para começar a tratar o animal, o proprietário deverá ignorar o comportamento inadequado, só fazendo carinho quando este acalmar-se.
Florais de Bach:

O uso de flores e plantas no tratamento humano é muito antigo. Pesquisas indicam que as flores já eram utilizadas com este objetivo antes de Cristo. Os aborígenes australianos comiam a flor inteira para obter os seus efeitos. Tanto os egípcios como os africanos e os malaios já faziam uso das flores para tratar os desequilíbrios. Há registros que, no século XVI, Paracelso, famoso alquimista, já utilizava as essências florais para tratar seus pacientes.
Edward Bach (1886 - 1936), renomado médico patologista e bacteriologista, atuante por mais de 20 anos em Londres, abandonou sua prática em 1930 para dedicar-se integralmente à pesquisa de seu método de cura pelas flores. Desde cedo, em sua época de estudante, interessava-se mais pelos pacientes do que por suas doenças, pois sentia que ocupar-se dos sintomas físicos não era o bastante. Todos os remédios usados em seu método de tratamento são preparados a partir de flores, arbustos e árvores silvestres. Não são prescritos diretamente segundo o mal estar físico, mas sim , de acordo com o estado mental do paciente . Todo estado emocional negativo gera desequilíbrios no indivíduo que, acaba tornando-se presa de problemas físicos, o que não aconteceria se o estado mental fosse de equilíbrio. Os remédios de Bach tratam as pessoas e os animais doentes e, não as doenças. Os florais são produzidos a partir da retirada da energia das plantas de que são feitos.
O Dr. Bach nos ensinou que, a doença e o sofrimento são sinais de que o paciente possui um aprendizado a realizar , a fim de reconquistar a harmonia e o equilíbrio perdidos .
Princípios básicos das essências florais de Bach
:
- tratam o indívíduo e não a doença
- sistema simples e natural de cura
- nenhuma essência pode causar danos ou dependências - não há química . A essência é energética, vibracional.
- podem ser usadas com qualquer outro tratamento - é um tratamento complementar e não alternativo
- efetividade - a efetividade pode ser observada em indivíduos inconscientes, em coma , em crianças , em animais e plantas
- sistema de cura completo
- as essências não substituem a medicina veterinária ortodoxa .
" A existência e evolução das plantas corresponde a um longo aprendizado de harmonia com as leis do universo . O ser humano também vive sob estas leis , e é por isso que o aprendizado das plantas é , simbolicamente , análogo ao dos homens.
Quando a planta floresce todo o seu aprendizado fica disponível para o novo ser que irá se formar . As essências florais são , antes de tudo , a experiência da planta em busca de sua harmonia com as leis da natureza ."
Florais de Bach utilizados para tratar o comportamento inadequado do cão, na síndrome do abandono. Esta relação não é um guia - é, meramente, uma sugestão. Consulte o terapeuta floral:
- vervain
Para tratar o excesso de euforia. Animal muito barulhento, muito agitado. Trata o excesso de entusiasmo e a impulsividade.
- honeysuckle
Para tratar a saudade.
- chicory
Para tratar o amor condicional, o apego, a possessividade. Para animais que latem, mordem, mancam ou vomitam para impedir que sejam deixados sozinhos.
- heather
Para tratar o animal que sofre muito com a solidão. Trata animais que fazem barulho para chamar atenção ou por sentirem solidão. Trata animais barulhentos, inoportunos , destrutivos ou sujos quando deixados sozinhos. Para tratar o animal "manhoso".
- holly
Trata os ciúmes destrutivos. O animal é destruidor, agressivo, vingativo.
- cherry plum
Trata comportamentos incontroláveis, compulsividade. Descontrole quando vê o proprietário. Para incontinência urinária e fecal. Para tratar convulsões.
- willow
Trata o ressentimento, a mágoa, o negativismo. O animal sente-se injustiçado, um coitadinho. Para animais que parecem se vingar ou mostrar rancor, urinando em lugares impróprios ou destruindo coisas que pertencem ao dono.
- agrimony
Para tratar a angústia, o tormento interior. Trata a ansiedade.
Martha Follain
Fonte: www.floraisecia.com.br

Share/Bookmark

Um comentário:

Renata disse...

Padma bela postagem obrigado,uma otima semana repleta de muita luz bjs Re.