11 de julho de 2010

DEIXE PARA OS OUTROS O MÉRITO DE ESTAREM “CERTOS”


 
Uma das perguntas mais importantes que devemos nos fazer é "Eu quero estar sempre ‘certo’ – ou quero ser feliz? " Muitas vezes, as duas coisas se excluem, automaticamente!.
A necessidade de estar certo – ou a necessidade de alguém estar errado – encoraja os outros a se defenderem, e nos pressiona a manter nossa defesa. No entanto, muitos de nós (até eu, algumas vezes) gastamos uma boa parte de nosso tempo e energia tentando provar (e mostrar muitas vezes) que estamos certos – e que os outros estão errados. Muitas pessoas, consciente ou inconscientemente, acreditam que é dever delas, por algum motivo, mostrar aos outros que suas posições afirmativas e pontos de vista estão incorretos, e que, assim fazendo, a pessoa que estão corrigindo vai, de alguma forma, apreciar a correção, ou pelo menos aprender algo. Errado!.
Pense no assunto. Alguma vez na sua vida você foi corrigido por alguém e disse para esta pessoa, que estava tentando ser correta?: Obrigado por ter provado que eu estava errado e você certo. Agora, eu entendo, cara, você é o máximo!". Ou, alguém que você conhece alguma vez lhe agradeceu (ou sequer concordou com você) quando o corrigiu, ou mostrou-se "certo" à custa dele? Claro que não. A verdade é que , todos queremos que nossas posições sejam respeitadas e entendidas pelos outros. Ser ouvido e entendido é um dos maiores desejo do ser humano. E aqueles que aprendem a ouvir e entender são os mais amados e respeitados. Aqueles que têm por hábito corrigir os outros provocam ressentimentos e afastamento.
Não é que seja nunca apropriado estar certo – algumas vezes você genuinamente precisa estar certo ou quer estar e pode ser que haja algumas posições filosóficas que você não admite transigir, como quando você ouve um comentário racista, por exemplo. Aí, é importante dizer o que vai em sua mente. Normalmente, no entanto, é o nosso ego que contribui para arruinar o que seria, de outro modo, um encontro pacífico – o nosso velho hábito de precisar e querer estar certo.
Uma estratégia excelente e simpática para nos tornarmos mais pacíficos e amorosos é praticar, permitir aos outros a alegria de estarem certos. Deixe a glória para eles. Pare de corrigir. Por mais enraizado que seja este hábito, vale qualquer esforço ou prática. Quando alguém diz: "Eu realmente penso que é importante...", em vez de correr para dizer, "Não, mais importante é..."ou qualquer das milhares de outras formas de cortar uma conversa, simplesmente deixe a retórica fluir e o pensamento chegar ao fim. As pessoas em sua vida se tornarão menos defensivas mais amorosas. Elas vão apreciá-lo mais do que você poderia jamais ter sonhado possível, mesmo que não saibam o porquê. Você descobrirá o prazer da participação e do testemunho da felicidade de outras pessoas, que é muito mais compensador do que a batalha de egos. Você não tem que sacrificar suas verdades filosóficas mais profundas ou suas opiniões mais sensíveis, mas pode começar hoje mesmo, a deixar aos outros, a maior parte do tempo!
Fonte: www.nenossolar.com.br

Share/Bookmark

3 comentários:

Hélen Rezende disse...

Venho aqui colher energias positivas...
Parabens pelas esccolhas dos textos.

DINEI FAVERSANI disse...

Parabéns. Querer impor aos outros uma posição, não é a melhor opção, pois, o conflito será inevitável. Acredito que ouvir é primordial, e se houver oportunidade para expor um determinado ponto de vista, deve-se fazer, caso contrário, manter o silêncio é mais sábio. A harmonia e compreensão são excelentes opções para obter a PAZ. Beijos em teu coração. A LUZ DE DEUS NUNCA FALHA!

Cigana do Oriente disse...

Que cada um seja livre para seguir o que melhor lhe agrada, o importante é ter sempre amor no coração!
Amiga, passa lá no meu blog que tem um selinho pra você, beijos