11 de julho de 2010

A VIBRAÇÃO DAS PALAVRAS



A mente é algo como uma usina a produzir energias; quando se descontrola ou é tomada pela raiva, ódio, cólera, inveja ou ciúme, emite determinados feixes de ondas de forças, que perpassam pelo campo “etéreo-astral” da zona cerebral do perispírito, fazendo baixar o padrão vibratório de energia mental que ali já se encontra em liberdade. Produz-se, então, um fenômeno que muito bem o poderíeis designar como sendo uma “coagulação mental astral”, lembrando o caso da onda de frio que, ao atuar no seio da atmosfera do vapor d’água, solidifica-o na forma de gotículas. Assemelha-se à corrente elétrica que, perpassando por uma solução salina, produz a tradicional precipitação verificada em laboratórios de física e química.
Da mesma forma, as ondas mentais alteradas também intoxicam a própria atmosfera astral e invisível em torno do cérebro, produzindo substâncias que baixam vibratoriamente, tornando-se nocivas, por cujo motivo devem ser eliminadas da zona psíquica ou do campo áurico do homem.
A glândula hipófise, a regente dinâmica do sistema endócrino e a maior influente do sistema nervoso, sofre então, devido à sua delicadeza, a maior parte do impacto violento e agressivo da mente desgorvenada, fazendo esse impacto repercutir nos demais órgãos da rede glandular, do que resulta aceleração e precipitação de hormônios inoportunos na circulação sangüínea, com a conseqüente intoxicação do organismo.
A natureza, orientada pelo senso divino, expulsa a carga inoportuna para o mundo exterior, através das vias emuntórias do corpo, como sejam os rins, intestinos e pele. Daí se verificar, amiúde, que as criaturas mais violentas, coléricas, irritáveis, pessimistas ou ciumentas são vítimas quase sempre de alergias inespecíficas, urticárias, nefrites, eczemas, neuro-hepáticos, surtos de desinteria ou hemorróidas, como frutos dos desequilíbrios mentais e descontroles psíquicos. Os hipocondríacos, por exemplo, vivem num infeliz círculo vicioso; quando o fígado enferma, altera-se o se psiquismo, e quando este se desarmoniza, são eles que enfermam o fígado.
É óbvio pois, que, sendo as palavras irascíveis o instrumento que interpreta as emoções desequilibradas ou violências mentais, devem produzir visíveis modificações orgânicas, como chaves do psiquismo desequilibrado, assim como as palavras desarmônicas por natureza exigem esforços à parte, para serem pronunciadas, enquanto outras associam estados enfermiços e fazem abater o ânimo espiritual, influindo no físico. Quando louvais o próximo com palavras de amor ou de paz, elas despertam estados de afetividade, otimismo e esperança, o que já não sucede se as expressões forem de ódio ou de rancor. As palavras despertam idéias e produzem estados emotivos diferentes, no homem; repetimo-vos: são chaves verbais que vos alteram ao ouvi-las ou ao pronunciá-las, ocorrendo então conseqüências também diferentes no psiquismo e, conseqüentemente, no corpo físico.
Ramatis, in
A sobrevivência do espírito, pág. 226-228. 

Share/Bookmark

3 comentários:

DINEI FAVERSANI disse...

Gostei muito do texto postado. Para uma equilibrada faz-se necessário controlar as nossas atitudes, palavras e pensamentos. O Seu Blog está de parabéns, inclusive, desde já peço sua autorização, e desde já acredito que você permitirá, que eu faça cópias de alguns textos do Blog, para que eu possa postar no meu Blog, pois, pérolas precisam ser divulgadas, para que possamos ter um mundo melhor. Beijos em teu coração. A LUZ DE DEUS NUNCA FALHA!

Patrícia Melo disse...

Olá Dinei, obrigada. Claro que vc ou qualquer blogueiro poderá copiar os textos desde que coloque a fonte.
Vamos divulgar a paz e o bem...
Um abraço, namastê!

walnelia disse...

Uma bela página para meus estudos...
Minha alma está plena porque nutrida com esta fonte de Luz...
Namastê,querida!