28 de agosto de 2010

CURANDO AS FERIDAS



Voltar-se para o presente e aceitar o inaceitável na verdade acaba sendo um alívio. Se vocês alguma vez fizeram isso, sabem o que eu quero dizer. Significa que não há mais necessidade de batalhar. Um fardo, que nem sabíamos estávamos carregando, é deposto. As coisas são como são. Nós as aceitamos porque são um fato. É a única coisa realista a ser feita. E assim seguimos com a vida.
Isso toma tempo, é claro. Como disse Ghosananda, “Guerras do coração sempre demoram mais para esfriar do que o cano de uma arma ... Nós precisamos curar através do amor ... E precisamos ir devagar, passo a passo ...” Talvez a aceitação possa acontecer só depois que o sofrimento todo da perda, decepção e desesperança tenha sido experimentado.
Mas, mesmo assim, a cura não é fácil. Pois o que é necessário é nada menos do que uma transformação da mente. O perdão é necessário para que o ódio e a aversão sejam abandonados e substituídos pelo amor. O passado tem de ser perdoado, a vida em si tem de ser perdoada, por ela ser como ela é. E metta, ou amor bondade, tem de ser estimulado.
É necessário que desenvolvamos metta para nós mesmos, metta para aqueles à nossa volta, metta para a nossa situação na vida. Como desenvolver um coração pleno de metta se torna a questão central. Para começar, o método é refletir e ter claro que isso é o que você realmente quer fazer, deixar o sofrimento de lado e ser benévolo com você mesmo e com os outros. Uma intenção clara, repetida com freqüência, coloca a mente na direção que queremos ir e ajuda a manter-nos seguindo adiante.
O Dalai Lama menciona uma frase que ele repete a cada manhã ao despertar. “Que todos os meus pensamentos, palavras e ações hoje não causem malefícios a ninguém, mas benefícios a todos.” Com o tempo e repetição, essa frase começa a atuar como uma correnteza subjacente na mente, re-direcionando silenciosamente a intenção, afastando-a do malefício e dirigindo-a para a expressão do amor.
O que ajuda também, é refletir sobre as desvantagens da raiva, refletir sobre todas as diferentes razões pelas quais sabemos que as emoções negativas causam malefícios. Refletir sobre isso projeta na consciência os seus efeitos danosos e reforça a determinação de evitar todas as formas que expressem a aversão.
Praticar a meditação de metta intensivamente durante um longo período de tempo pode ajudar, ou mesmo praticá-la durante uma hora por dia. Ou começar cada sessão de meditação com frases de metta. Se você sente freqüentemente raiva de si mesmo, cheio de autocrítica e auto-julgamento, você poderia começar cada sessão de meditação com frases de metta tradicionais dirigidas para você mesmo. Isso pode parecer pouca coisa, mas se for repetido com fé, com o tempo irá causar um impacto significativo. Com o tempo haverá menos auto-julgamento, menos auto-condenação e mais auto-respeito.
Sentir metta por si próprio não só é importante, mas necessário para que a prática evolua. E por outro lado a prática intensifica o sentimento de metta. Pois com a prática a confiança e convicção em nós mesmos começa a crescer. E essa confiança crescente proporciona um senso de valor próprio e apreço, permitindo que nos voltemos mais facilmente para os outros com o mesmo respeito e apreço.
Sarah Doering
Fonte: http://www.acessoaoinsight.net/

Share/Bookmark

Nenhum comentário: