26 de setembro de 2010

NÃO CRITICAR



PESSOAS CRÍTICAS
Nós estamos constantemente julgando outras pessoas, a nós e nossas situações.
Parece que a vida é um constante show da realidade com um painel de juízes sempre em evidência. Mas, a natureza de julgamento da mente, não vai dar-nos paz ou felicidade.
Para alcançarmos a verdadeira paz interior,  temos que ir muito além do jogo de julgamento de ‘inferioridade’ e ’superioridade’, ‘certo’ ou ‘errado’. Por que deveríamos ser menos críticos? Nós Sofremos.
Quando julgamos os outros, é difícil não ter um sentimento (consciente ou inconscientemente) de superioridade/orgulho.
Quando julgamos os outros, nós baixamos nossa própria consciência.
“Se nós julgamos os outros com a nossa mente humana apagada, com a mente intelectual, com a mente sofisticada, as pessoas que julgamos não perdem um pingo de sua realização, de sua realidade”. Mas nós perdemos.
Como é que perdemos? Quando começamos a duvidar de outros, oferecemos algo de nossa própria existência para o mundo exterior, algo de nossa própria realidade e, eventualmente, nos tornarmos muito fracos. “- Sri Chinmoy
PODEMOS ESTAR ERRADOS
Ao julgar os outros estamos sempre a julgar apenas uma pequena parte da sua natureza. Pode até ser uma informação de segunda mão. Podemos ouvir a opinião de alguém e levá-la como uma fofoca. Mas, quem pode dizer que eles não colocaram a sua própria inclinação e perspectiva sobre a outra pessoa? Mesmo quando parece que conhecemos em primeira mão a alguém, pode ser que interpretemos mal as suas motivações e atitude interior. Nunca podemos saber o que está acontecendo dentro de uma pessoa. Cada um está lutando suas próprias batalhas e tentando ser uma pessoa melhor em sua própria maneira. Não podemos esperar que todos estejam na fase de santidade nesta encarnação.
COMO NÓS GOSTARÍAMOS DE SER JULGADOS?
Quando fazemos algo de bom, naturalmente, queremos que o mundo inteiro saiba sobre aquilo. Mas, quando fazemos algo ruim ou infeliz, nós preferimos que aquilo seja mantido em segredo. Se tomamos prazer nas desgraças das pessoas, cometemos um grande erro, e é provável que aconteça conosco.
COMO SER MENOS CRÍTICO
Seja simpático!
Quando vemos alguém fazendo algo errado, nós podemos sentir que aquilo é algo que nós poderíamos estar fazendo de errado também.
Ironicamente, quando nós criticamos as falhas nos outros, muitas vezes temos os mesmos erros nós mesmos.
Se nos lembrarmos que estamos tão propensos a julgar e fazer a coisa errada, então isso nos dá mais compaixão e compreensão.
SEJA SOLIDÁRIO, NÃO CRITIQUE!
Julgar os outros raramente ajuda a mudar o comportamento do outro para melhor. Ser solidário pode mudar.
CONCENTRE-SE EM SER FELIZ
Quando ficamos atolados em julgar os outros, nós não vamos ganhar muita felicidade.
A felicidade vem de apreciar as coisas boas da vida, não para dar sermões sobre as falhas do mundo.
OLHE PARA AS PESSOAS COMO UMA GRANDE FAMÍLIA
Se um relativo próximo de nós faz algo errado, estamos mais dispostos a perdoar e ver as suas melhores qualidades. Ao julgar colegas de trabalho ou amigos, tentemos vê-los como uma extensão de nossa família, de nós próprios, isto nos dará uma abordagem mais compreensiva.
ESTAR CERTO NÃO É COISA MAIS IMPORTANTE
Ao julgarmos os outros, há um forte desejo de estarmos certos e apontarmos os outros como errados. Mas a vida não é sobre estar certo ou errado, é muito mais… É sobre silenciosamente dar uma contribuição positiva.
LIDANDO COM PESSOAS CRÍTICAS
Algumas pessoas são muito críticas.
Elas têm o hábito de fazer-nos sentir pequenos/culpados. Além disso, incentiva-nos a ser críticos também, em retorno;  começamos a nos defender ou começamos a julgar os outros – unindo-nos em seu jogo de julgar as pessoas.
Também pode ser difícil discordar de pessoas críticas, já que muitas vezes elas podem ter profunda convicção em suas crenças, em suas “verdades”.
A melhor maneira de lidarmos com pessoas críticas é não desafiá-las diretamente, mas, permitir-lhes seguir seu caminho, enquanto mantemos a nossa abordagem tranqüila.
Não nos preocupemos em ter a última palavra ou defendermo-nos. Se as críticas forem injustas, de amigos ou sobre nós, sempre poderemos apontar para as boas qualidades. Mas, é improvável que mudemos a natureza das pessoas, por isso não esperemos muito.
Fonte: http://www.srichinmoybio.co.uk/

Share/Bookmark

2 comentários:

Adelaide Figueiredo disse...

Patrícia,

Gostei da abordagem! Quanta verdade!!!

Muita Luz

Lu disse...

Patrícia,

Adorei seu blog! Muito bom vir aqui e encontrar todas essas ponderações certeiras juntas!
Obrigada pelo presente!
Não sei se você o é, mas sou reikiana.
Estarei sempre por aqui.
Beijos e felicidades!!!