27 de setembro de 2010

PAZ NO CORAÇÃO


É quase sempre muito delicado estabelecer uma convivência harmoniosa entre pessoas que pensam diferentes, que têm posturas diferentes perante a vida em todos os seus desdobramentos, que possuem formas de pensar, de agir, de vivenciar as coisas e de ver o mundo de forma bem diferente. O que gera mais conflitos numa convivência continuada é o distanciamento que essas diferenças acabam provocando no decorrer do tempo, no que diz respeito à sensibilidade interior, à sutileza de alma e à nobreza de espírito. Aí, a impressão que fica é que cada um fala uma linguagem desconhecida e incompreendida pelo outro.
É lá dentro, é no recôndito da alma que as pessoas são diferentes! A pessoa mais sensível, com maior capacidade de sentir e de perceber as sutilezas das palavras, dos gestos, dos acontecimentos... por ter a alma mais delicada, tende a ser ferida, magoada, atingida, dominada e muitas vezes até, vampirizada nos mais diferentes sentidos, por falta dessa mesma sensibilidade e fineza interior do outro, seja ele parceiro ou colega, amigo ou superior, ele acaba passando por cima dessa pessoa, como um rolo compressor.
Num caso assim, é bom usar táticas de proteção interior, emocional e espiritual, elas vão impedir que uma pessoa sensível seja atingida em cheio na sua vulnerabilidade. Olhar para aquele que não tem sensibilidade, que ameaça, que fere com palavras, que vampiriza as energias, que machuca e magoa, envolvendo-o com compaixão e amor, mantendo-o envolto nessa energia amorosa, dando mentalmente, o comando de que nada que proceda dele, consiga neutralizar ou desfazer esta compaixão e amor por ele.
Como os nossos pensamentos e sentimentos são energias fortes e poderosas, nos propomos a liberar mentalmente, ondas magnéticas positivas de bons desejos, bons votos, boas perspectivas para ele. Ou seja, evitar revidar um ataque com outro, amar no silêncio do coração, ter sentimentos bons e boas palavras, elimina qualquer energia negativa, é tomar atitude de sábio e prudente. Boas palavras quebram qualquer fortaleza. A palavra de Deus assim diz: “O que guarda a sua boca e a sua língua, guarda a sua alma das angústias". (Provérbios 21:23h). É quase sempre a verbalização das nossas emoções, sentimentos e desejos que vão provocar desarmonia entre as pessoas, através de julgamentos e de palavras duras, que agem como se fossem espadas afiadas que cortam dos dois lados e penetram fundo no coração de quem as ouve e também de quem as profere.
Quando alguém ataca outrem frontal ou sutilmente, magoando, ferindo, dominando, desestabilizando, plantando dúvidas no seu coração demonstra que ainda é criança, pode ter vivido muito, mas não cresceu, não aprendeu o que devia aprender. Ainda não descobriu que gestos ternos, palavras doces, expressões carinhosas, pensamentos bons e sinceros, atitudes transparentes são como pedras preciosas, dão brilho à vida, tanto para quem as emite como para quem as ouve e as recebe, elas vão construir a harmonia dos relacionamentos no seu dia-a-dia.
Sinto compaixão pelos adultos que agem como se crianças fossem, não sabem o que estão perdendo por desconhecerem o tesouro precioso que está dentro do coração, tesouro capaz de construir relacionamentos lindos, duráveis e eternos.
Judithe Fasolin
Fonte: http://www.grupopas.com.br 

Share/Bookmark

Nenhum comentário: