27 de novembro de 2010

DIVINIZAÇÃO DA DOR



Acalme suas emoções; silencie seus pensamentos; rechace maus presságios; evite autocompaixão; enebrie seu coração com a convicção absoluta na bondade e na onipotência de Deus; e ore assim:
“Eis me aqui, Senhor, confiando em Ti, à Tua disposição. Tenho como oferenda, minha dor, minha resignação, minha entrega irrestrita, minha fé absoluta em Teu poder e em Tua benignidade. Abençoa-me. Seja feita a Tua vontade.”
Por mais feios e estreitos que sejam os horizontes, não se deixe afetar por medo, desânimo e afobação. São três adversários. Três agravantes. Para seu sentimento de culpa, que só lhe tem feito mal, quero que saiba que, por mais negativos que tenham sido os antecedentes e possivelmente as causas de sua atual condição, tais fatores não dispõem de poder absoluto. Há apenas um poder invencível, total, absoluto: o poder de Cristo que habita seu coração. Por mais penosa que seja sua atual situação, saiba também que Ele tem para ela a solução precisa, perfeita. Outra coisa: Ele ama você e quer ajudá-lo, não importa os desvarios e delitos que tenha praticado. Deus já está tomando conta do caso e o ajudando. Sabia?
IRREALIDADE DO SOFRIMENTO
“Se é verdade tudo isto, por que me encontro assim?” você se pergunta. Deus é força e está com você. Do ponto de vista do ser, sua fraqueza, em essência é irreal. A única realidade é Deus. Seu atual sofrimento e fraqueza são impermanentes, não tem consciência, tal como um pesadelo, o qual se apaga quando você desperta. Nossos padecimentos são fabricados com as fantasias de nossa mente, que nelas acredita, o sofrimento existe. Desde que nossa mente atribui realidade à doença e à fraqueza, ao mal, aos desvios, às tristezas, tais coisas existem e nos incomodam. Mas, desde que despertemos para a Realidade Divina (em nós), a suposta realidade da dor desaparecerá. Os pesadelos nos assustam e maltratam enquanto, dormindo, aceitamos que são reais. Ao acordarmos – pronto! – cessam.
DESPERTAR
Esse despertar para Deus (nossa Essência, o Ser) se consegue com oração, estudo doEvangelho (Bhagavad Gita, Dhamapada…), prática de caridade verdadeira, cultivo da paciência, sessões de Yoga, e, finalmente, a afirmação (em fé absoluta) de nossa união (estado advita) com a Realidade (Deus, o Ser). Aprenda a afirmar com a maior freqüência, sem qualquer dúvida: “Deus e eu somos um” (Ham Sa). Afirme milhões e milhões de vezes e vai sentir uma nova força imensa crescendo dentro de você. Será como o Sol a desfazer a cerração limitadora.
Tal mudança em seu modo de se ver, ver o mundo e Deus, possibilitará o libertador despertar que a dor veio para provocar.
ARREPENDIMENTO
Tudo isto só é possível se começar pelo arrependimento. Não falo em remorso, em rememoração dos erros, em re-curtir os desvios praticados. Não é nada disso. Arrepender-se é fazer meia volta, insto é, mudar de rumo em seu modo de relacionar-se consigo mesmo, com os outros e com Deus; é re-nascer ou melhor, dar nascimento ao homem novo, de que fala São Paulo: “… sede transformados pela renovação de vossa mente…” (Romanos 12:2). Enquanto engodados pelo sucesso, pelo lucro, pela pseudo-saúde, pelos divertimentos, pela falsa segurança… não temos por que renovar-nos em nosso modo de ver, de pensar e conseqüentemente de agir. Então sobrevém a conseqüência fatal dos erros, isto é, a dor, e é ela que, abençoada seja! – nos sacode, nos traumatiza e assim nos desperta. É a partir do esboroamento de nossa crença em valores humanos e mundanos, sob o impacto da dor, que temos condição de nos transformar, a começar pela renovação de nossa mente. Isto é o que esta acontecendo com você. Portanto, o que melhor lhe desejo não poderia ser uma ação analgésica, mas uma profunda e definitiva renovação.
Hermógenes, in
Superação  

Share/Bookmark

Nenhum comentário: