7 de novembro de 2010

MINHA CRIANÇA INTERIOR



É um grande desafio para o ser humano, entender seu mundo interior, e os motivos pelos quais determinados pensamentos e sentimentos nos acompanham, desde sempre, sem que nós queiramos suas presenças em nossas mentes e corações.
Quantos pensamentos caem em nossas mentes, ou mesmo quantas atitudes nós tomamos, sem entendermos os motivos destes eventos. Parece que há "alguma coisa” dentro de cada um de nós, que tem um poder maior que nossa vontade, e é ela que normalmente determina, os padrões de bem estar e felicidade interior de nossas vidas.
(...) Desenvolvemos as personas ou máscaras, e nos escondermos do outro, para que o outro não nos visse, mas no fundo, só queremos que o outro não nos veja, pois se nos ver, saberemos que fomos descobertos, ou seja, nós nos veremos. E quando eu me vejo, tenho que mudar. É mais fácil continuar se escondendo de mim, usando várias desculpas, ou objetos materiais, como formas de apegos, e não entrar em mim, para ver quem eu sou. Até hoje, depois de milhares de anos, nós fugimos de nossa verdade, através deste mecanismo de defesa, e continuamos sem evoluir. Evolução, é o conhecimento e a prática de nossas verdades. Cada vez mais o conhecimento e a prática de nossas verdades, nos leva ao conhecimento da verdade universal. Quando a atingirmos, viveremos o Deus que somos.
Enquanto isso não ocorre, é importante termos em mente, a necessidade de estarmos centrados em se conhecer, se perceber. Temos um mundo interior, riquíssimo, mas cheio de fantasias, desequilíbrios, queixas, mágoas, cobranças, etc., e preciso libertá-lo do que não serve à minha evolução, e ficar apenas com os conteúdos de alma, da divindade.
Portanto, deixar para lá, não enfrentar algo que me aconteceu e me incomoda, só prejudicará minha evolução. É praticar o mesmo, e o mesmo não é evolução.
(...) Tratar nossa criança internalizada, além de lhe dar amor, respeito e disciplina, é também enfrentá-la. Enquanto tiver medo de sua neurose, não vai curá-la. É preciso nutrir nossa criança, e a melhor maneira de nutri-la, é acompanhá-la de perto. Seguir os seus passos. Não deixá-la tomar conta de você tiranamente, como tem feito até hoje.
Faça a seguinte experiência... quando sua criança internalizada, vier à tona, lhe cobrando atenção, carinho, dê o que ela estiver pedindo. Trate-a/se bem, nutra-a/se, ame-a/se.
Se ela vier tiranamente, fazendo exigências, sendo rebelde,dando de vítima, ou de coitadinha....BRINQUE E RIDICULARIZE TUDO AQUILO QUE ELA ESTIVER EXIGINDO, tire sua força, desprestigie seus objetivos, goze de seus propósitos, brinque com seu lado tirano, esvazie suas exigências, dê muita risada, ria dela e com ela .Seja seu melhor parceiro e amigo.
Se precisar, faça um acordo com ela. Faça uma troca, estabeleça regras e limites, trate-a como toda criança deve ser tratada, com amor e limites.
Lembre-se, esta criança é seu maior patrimônio, responsável pelas suas maiores dificuldades evolutivas. Ela precisa apenas ser nutrida. Se o fizer com carinho, em pouco tempo, suas neuroses começarão a diminuir, e certamente você será mais feliz.
Toda criança livre é feliz! Se você já reconheceu que tem dentro de você uma criança não livre, solte-a, deixe-a brincar mais, dê-lhe mais carinho, seja mais paciente com ela, ame-a, apesar das diversas mal-criações que ela te faz, dê hoje uma nova chance para ela, pois a chance é para você, e se comprometa, com ela e com você, à partir de hoje lhe dar mais amor, respeito, atenção e disciplina, pois esta é, verdadeiramente, a chave de tua felicidade.
Fonte: http://www.alguemnet.hpg.com.br/psi/mychild.htm

Share/Bookmark

2 comentários:

Flávia M. disse...

Olá,
Os artigos que você expõe no blog tem me ajudado a refletir sobre muitas coisas.
Nem tudo é reconhecimento, mas ele faz parte,
Obrigada e Deus a abençoe.

Gotinhas de sol disse...

Olá passei só pra dizer que gosto de você! Não a conheço... mas seu blogue mexeu comigo, adoro os temas. Que Deus a Abençoe.Beijo do coração.