2 de novembro de 2010

O CORAÇÃO EM SUAS MÃOS



O coração é o órgão de manifestação do amor, enquanto que o neo-córtex ou cérebro pensante é o órgão de manifestação dos pensamentos. O pensamento linear divide, calcula e planeja. Ele funciona como um instrumento para a sobrevivência e se preocupa com o passado e o futuro. Enquanto o presente acontece, ele fica perdido em seus próprios devaneios e divagações. O pensamento linear foi desenvolvido através de milhões de anos de evolução humana, para servir como um instrumento de defesa e manutenção da espécie. Contudo, ele é como uma faca de dois gumes que pode ser usada de forma a libertar ou aprisionar o indivíduo. Tendo e ego como controlador e manipulador do instinto de sobrevivência, o homem encontra-se confinado em uma prisão racional, onde nem o seu amor nem a inocência de sua criança alcançam a liberdade para expressão. É preciso que ele reconheça outros centros no espectrum de seu potencial, aproximando-se de seus instintos mais afetuosos e ternos para que possa resgatar a inocência perdida e descobrir as várias possibilidades contidas no milagre e mistérios de sua própria criação.
Nossos braços e mãos são extensões embriológicas de nosso coração. Até os batimentos do coração são sentidos em nossos pulsos. A energia amorosa da vida que faz pulsar o coração flui através dos braços e estende-se pelas mãos e dedos, transcendendo os limites físicos da pele e envolvendo o nosso corpo etérico, astral e mental, fundindo-se com a grande Fonte.
Os antigos já diziam que a terapia é uma função do amor. Jesus também diz nos Sermões da Montanha que: "mesmo que se cure os cegos ou se levante os mortos, mesmo que se fale a língua dos anjos ou dos deuses, se não houver amor de nada vale a ação". Uma ação carregada de amor é uma ação renovadora, transformadora e terapêutica. A energia do amor é tão forte que alivia até as dores de uma criança quando a sua mãe, imbuída de amor, toca ou beija o lugar de seu ferimento. A energia de amor envolve, nutre, aquece e cura. Ela transcende o credo, a cor e as fronteiras do mundo físico. O amor é a energia essencial da vida. Por isso diz-se que Deus é Amor, atribuindo-se a Ele qualidades divinas.
O amor une, integra e completa. Ele toca profundo, mexe dentro do coração, energiza a nossa aura e cria um elo luminoso entre os seres que se amam. A criança sadia é uma expressão do amor divino, por isso nos encantamos tanto com as crianças. Por isso é dito: "Bem aventurados os que são como crianças, pois eles são herdeiros do paraíso". Esse paraíso é uma herança de todos nós, podendo ser penetrado, sentido e vivenciado, quando o indivíduo, em um dado momento de sua evolução, toma consciência desse direito. E através de uma busca verdadeira se integra, se harmoniza e bebe dessa Fonte abundante e inesgotável que é a Fonte do Amor, a Grande Fonte da Vida.
José Claudio Belfort, in
Mãos Que amam são mãos que curam 

Share/Bookmark

Nenhum comentário: