11 de dezembro de 2010

ANDANDO COM KRISHNA PELA SENDA DO ESPÍRITO



Certa vez, no templo das estrelas, você me falou sobre o Darma e a responsabilidade de manter a tocha do discernimento espiritual acesa na jornada.
Você me contou sobre o amor que ama sem nome e o abraço silencioso da luz em cada trabalhador da senda do espírito.
E me esclareceu sobre os ensinamentos conscienciais elevados e a assistência espiritual, em todos os planos.
O tempo passou e a roda da vida girou e me levou para as vivências necessárias...
E, por diversas vezes, eu me distanciei do que você havia me ensinado.
E hoje, eu reconheço: o meu ego me cegou e me desviou da senda.
Por causa de minha arrogância, eu também me esqueci de você.
Mas você esperou o tempo certo chegar e me resgatou de mim mesmo.
E jamais me julgou. Pelo contrário, você continuou me amando em silêncio.
Porque você sabia que eu o tinha esquecido só na mente, mas não em espírito.
E que eu havia guardado tudo dentro do meu coração.
E você veio e me tirou do poço do orgulho e me abraçou, e rindo, me disse:
“Meu coração está em seu coração. Sempre esteve. E sempre estará!
Que bom que você voltou. Vamos retomar a jornada, com passos de Luz.
Porque os meus passos estão nos seus passos...
Sua senda é minha... E minhas mãos estão nas suas, para passes luminosos.
O seu sopro vital é meu, porque eu estou em seu coração.
E o seu trabalho também é meu, porque eu lhe dei o Darma para isso.
Então, sabendo que nada lhe pertence, nem mesmo o seu corpo físico, entregue a mim o fruto do seu trabalho e deixe que o meu coração fale ao seu coração...
E quando você estiver cansado e desgastado, pense em mim. Respire-me...
E diante da tragédia e das dores do mundo, ore a mim.
Lembre-se: o seu coração é meu. E o meu amor também!”
E pela graça d’Ele, eu retornei dos escombros de mim mesmo.
O tempo passou e a roda da vida girou outras vezes, mas eu nunca mais o esqueci. Porque eu passei a sentir o coração d’Ele dentro do meu coração.
E o Darma d’Ele continua me impulsionando na senda, humana e espiritual.
E hoje eu sei que não mando em nada, nem em mim mesmo e que, a qualquer momento, eu posso ser arrebatado para fora do corpo definitivamente, na hora que Ele determinar.
Sim, hoje eu sei: eu não sou mais meu. Na verdade, nunca fui. Sempre fui d’Ele.
E quando eu errei, foi o meu ego detonando a jornada. Mas quando eu fiz algo bom, foi Ele em Mim.
Sem a paciência e o cuidado d’Ele, eu teria me perdido nas ilusões do meu orgulho e de minhas emoções estranhas.
Ah, hoje eu sei: a senda espiritual é linda por causa d’Ele!
E eu agradeço a Ele, mais uma vez, por tudo. E respiro o Seu Sopro Vital...
E diante das dores e tragédias do mundo, eu penso n’Ele, e oro a favor de todos, encarnados e desencarnados.
E o meu coração escuta o coração d’Ele, como deve ser...
Ele, Krishna, o Senhor dos olhos de Lótus, o Eterno Companheiro.

P.S.:
Quando o coração fala ao coração, não há mais nada a dizer.
É algo que não se explica, só se sente...
Em espírito e verdade, como deve ser...

Om Namo Bhagavate Vasudevaya!
Paz e Luz
Wagner Borges  

Share/Bookmark

Nenhum comentário: