28 de dezembro de 2010

A ARTE DE CURAR



(...) Nossa atitude mental perante a vida é, como sabemos, cinzelada pelas muitas experiências que encontramos no presente, assim como por aquelas com que tivemos de lidar no passado. Nossas reações de raiva, depressão e ódio colocam em movimento certas vibrações negativas que em algum momento atuam em nosso sensível corpo psíquico e provocam a degradação gradual de nossas células físicas. Os médicos estão agora verificando que o câncer, embora tenha rápido crescimento uma vez que se manifeste, pode levar até quarenta anos para se formar. Atitudes mentais, infelizmente, não podem ser modificadas do dia para a noite. Foram necessários anos, provavelmente séculos, para moldar nossos padrões de pensamento, e só através de uma estrita disciplina é que podemos superá-los e estabelecer novas tendências. Fisicamente, o corpo também requer cuidado especial. É importante mantê-lo asseado, confortável e nutrido com os tipos certos de alimentos, fornecendo-lhe assim todos os nutrientes necessários para o funcionamento normal de nossas células. O estudo da nutrição, portanto, também é um atributo muito importante da arte de curar. Outro passo é a necessidade de exames médicos regulares para que seja verificado se nosso corpo físico está funcionando perfeitamente e para detectar problemas menores de saúde logo de início, quando podem ser facilmente tratados.
O aspecto mais vital da cura, entretanto, é nossa comunhão diária com o Divino. Muitas pessoas costumam sentir que, pelo fato de que não conseguem alcançar resultados extraordinários durante seus períodos de meditação, nada têm a ganhar com a sua prática regular. Devemos compreender que Deus é, e que só pode manifestar-se através de nós se lhe dermos condições para que isso aconteça. Se julgarmos que não estamos colhendo qualquer benefício de nossos períodos diários de harmonização, não podemos simplesmente dispensá-los como rituais desnecessários. Suponhamos que as luzes não acendam quando ligamos o interruptor à noite. Seria esta uma razão para negarmos a existência da eletricidade? Não, você sabe que ela existe, e obviamente vai testar o interruptor, a fiação, ou as lâmpadas para descobrir por que a luz não acende. Da mesma forma, você deve saber que Deus é. Tenha essa convicção interior, e analise seu próprio Eu para saber a razão de não conseguir se harmonizar com ele e receber sua divina orientação. Examine-se — você está sintonizado? Está meramente realizando o ritual enquanto não tem certeza de que há algo além? Estará a dúvida escravizando sua mente? Ouse acreditar!
Quando você tiver conseguido alcançar esse estado de certeza íntima, em cada momento de sua vida, de que o Bem está com você, verá que nenhuma petição pela saúde ficará sem resposta. Deus não decretou que você deve sofrer. São nossos pensamentos que criam nosso sofrimento físico. Talvez uma das maneiras mais fáceis de vivenciar a presença de Deus é usar o divino princípio do Amor. A qualquer hora do dia, dirija pensamentos de amor às pessoas que você conhece, não só as que você ama, mas especialmente as que não aprecia. O amor nunca se perde; ele retorna para você e purifica sua alma de todos os pensamentos maus ou negativos. Se alguém disse ou fez alguma coisa para magoá-lo, pense nessa pessoa e envie-lhe vibrações de amor. Se achar que isso é pedir demais, visualize para que o semblante da pessoa que você não quer bem seja amado. Use as palavras "Eu amo o bem em você". São palavras verdadeiramente poderosas. A atitude mental é, portanto, a principal razão pela qual os médicos nem sempre têm êxito na eliminação total das doenças de certas pessoas. Enquanto a mente não conseguir aquele controle sobre seus pensamentos e emoções e não aprender a lição do amor, não poderá haver cura verdadeira. Os médicos são apenas mediadores através dos quais o poder curador de Deus pode operar. Eles, mais que o médico ortodoxo, precisam da total cooperação do paciente para ter sucesso em seus esforços em prol de uma cura. Contudo, a crença em um ser todo-poderoso, é o melhor, deve estar firmemente implantada no subconsciente da pessoa através de anos de aplicação prática, antes que a lição possa ser aprendida e a cura alcançada. O caminho da cura não é fácil, pois representa, realmente, uma reeducação de toda a nossa personalidade. Podemos levar uma vida inteira para alcançar aquele sublime estado de harmonização mística pela qual nosso corpo pode envelhecer e fenecer sem o sofrimento de uma doença terminal. Curar não é uma arte que nos permita imortalizar o corpo terreno, antes é uma ajuda que nos propicia conquistar uma vida livre de tensões e doenças, de modo a podermos ser mais capazes de auxiliar nosso próximo no caminho da saúde e da felicidade. Ao considerarmos a questão da cura, devemos nos lembrar sempre que nosso primeiro cuidado é o da prevenção — pensar e viver uma vida correta. Isso não apenas previne a incidência daquilo que nos faz adoecer, mas serve para eliminar qualquer moléstia de que estejamos padecendo agora. Com toda certeza, jamais seremos curados se não começarmos a praticar o modo de vida que teria evitado que ficássemos doentes, se o tivéssemos aplicado desde sempre. Não pense de modo obsessivo em sua presente moléstia, nem em seu fracasso passado no que diz respeito à sua prevenção. Ao invés disso, ponha-se o quanto antes a praticar esses simples, mas eficazes passos para a saúde: Dieta simples, sem extremismos, beber água ou outros líquidos, exercícios físicos diários, pensamentos positivos e amorosos e repouso. Além dessas atitudes objetivas existe mais uma prática a ser feita duas vezes por dia em sua própria casa: Primeiro sente-se em atitude relaxada, faça duas ou três respirações profundas, deixando todas as tensões desaparecerem enquanto exala o ar. Sinta o corpo ficando completamente relaxado, como se estivesse sendo banhado por mornas e profundas ondas de relaxação. Segundo aceite o pensamento de que há em seu interior uma força toda-abrangente que podemos chamar Deus do seu coração. Acredite nisso e saiba que é verdade. Deixe que essa força infunda o seu ser e o banhe em conforto e amor. Use esses momentos para dirigir seus pensamentos para a saúde, a paz, e o amor das partes do corpo que precisam ser curadas. Terceiro expresse um pensamento sincero de gratidão pelo trabalho da força Divina em seu interior e tenha a certeza de que a cura está ocorrendo. Termine essa breve meditação com as palavras: "Se é da vontade de Deus, está feito".
Fonte: AD, in O Rosacruz Amorc, 2000
Do site http://www.starnews2001.com.br

Share/Bookmark

2 comentários:

Jorge disse...

Se levamos muitas eras para chegar no que somos hoje, vamos precisar de outras tantas eras para sermos apenas a que fomos destinados: luz e amor.

Anjo amiga, que 2011 reflita o lindo coração que tens, trazendo-te paz, alegria e muito Amor!!!

Um beijo, de coração!!

Gislene disse...

Oi, Patricia!

Muito linda essa reflexão!
Pensamento positivo, boas ações e fé em Deus, é o caminho!

Te convido para uma visita ao meu blog.
Fiz uma postagem sobre João de Deus, o médium de Abadiânia. Você o conhece, amiga?
Espero sua visita!

Um abraço,

Gislene.