15 de fevereiro de 2011

MITOS E REALIDADES EM TERAPIA FLORAL



Mito: Floral é Homeopatia.
Realidade: A Terapia Floral é feita com essências de flores obtidas por um método diferente da Homeopatia. As flores, colhidas em sua floração máxima, são depositadas em um recipiente de vidro com água cristalina e expostas ao sol por algumas horas. Esse líquido, impregnado com a energia das flores, é conservado com a utilização de Brandy (a essa composição chamamos tintura mãe). Depois é novamente diluído em água com Brandy e engarrafado em vidros de estoque, dos quais tiramos algumas gotas para a preparação da solução de uso. A Homeopatia é preparada com plantas, minerais, secreções do próprio corpo e até animais inteiros (abelha, por exemplo), utilizando-se o processo da diluição e agitação a que chamamos de dinamização. Filosoficamente a Homeopatia é baseada na lei dos semelhantes (veneno de cobra para tratar mordida de cobra), e a Terapia Floral trabalha com o equilíbrio entre as polaridades de um estado emocional ou energético.

Mito: Somente 4 essências podem ser misturadas numa mesma fórmula.
Realidade: Bach, na década de 30, dizia que não deveríamos misturar mais de 4 essências numa fórmula. Hoje temos mais de 500 essências descritas, e a maioria dos terapeutas concorda que podemos utilizar um número maior de essências, desde que conheçamos seus efeitos. Na verdade, cada terapeuta floral pode ficar livre para prescrever quantos florais considerar necessários na mesma fórmula, pois as flores estão aí e, combinadas, criam buquês bastante eficazes.

Mito: Ao tomar os florais vou ficar dependente deles.
Realidade: Muita gente acha que não vai mais poder ficar sem floral depois de ter experimentado seus benefícios, pois os sintomas podem voltar. Na verdade o floral é o facilitador ou catalisador das mudanças dentro de um processo de autoconhecimento, assim se a pessoa realmente elaborou de acordo com suas dificuldades, os sintomas não mais surgirão.

Mito: Não se pode misturar essências florais com remédios alopáticos.
Realidade: Podemos misturar os florais com qualquer outro tipo de medicamento: alopático, homeopático, antroposófico, etc. Psicoterapia, massagens, yoga, fonoaudiologia e outras atividades também podem complementar a terapia. Lembre-se sempre que o seu médico ou terapeuta é a pessoa mais indicada para orientá-lo!

Mito: Não existem pesquisas científicas que comprovem a eficácia das essências florais.
Realidade: Aqui mesmo no Brasil, profissionais de diversas áreas tem realizado pesquisas, com a utilização de métodos tradicionais, obtendo resultados muito interessantes. No entanto, devemos pensar em novas metodologias científicas para a comprovação, pois a área de atuação dos florais é muito subjetiva (lida com energia). Devemos mudar o paradigma cartesiano de pesquisas para modelos mais quânticos.

Mito: Não se pode misturar florais de Bach com florais de outros sistemas.
Realidade: Podemos misturar essências florais de qualquer sistema. Afinal, uma proposta terapêutica tão bela, que se baseia na harmonia e equilíbrio da energia, jamais poderia ser discriminatória!

Mito: Qualquer pessoa pode prescrever os florais.
Realidade: As essências florais podem ser prescritas por quem realmente conhece e estuda os florais e tenha condição de acompanhar o seu cliente ou paciente tanto psicológica quanto fisicamente. Sempre devemos pedir ajuda a um profissional capacitado, quando o aspecto apresentado pelo cliente/paciente estiver fora da nossa alçada. Em muitos casos é necessário o trabalho multidisciplinar.

Mito: A pessoa pode se automedicar.
Realidade: A automedicação não oferece tantos riscos, porém é bom lembrar que, embora as essências florais não causem danos, pode ocorrer o que chamamos de crises de conscientização, onde a tomada de consciência de uma dificuldade pode trazer certos transtornos ao paciente, sendo indicado acompanhamento por um profissional que possa dar o suporte necessário. Os mecanismos de defesa do ego, muitas vezes impedem o aprofundamento em certos problemas que podem ser extremamente dolorosos.

Mito: Os florais só tratam de sintomas emocionais.
Realidade: A medicina holística tem provado que os desequilíbrios que ocorrem com as pessoas, envolvem o ser como um todo. Assim, quando um sintoma se apresenta, temos aspectos a nível físico, psíquico e energético que devem ser tratados. A Terapia Floral atua nesses 3 níveis, sendo indicada a nível físico por exemplo para os casos de asma, úlcera, cálculos renais, hipertensão, distúrbios menstruais e tantos outros, sendo vital nesses casos, o acompanhamento médico.
Katia Kuchler
Fonte: http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/conteudo.asp?id=1141 

Share/Bookmark

Nenhum comentário: