30 de abril de 2011

APEGO

Para mim não existe dúvida e repito, para que fique registrado em sua mente, que teremos que vivenciar, vida após vida, todos os signos do Zodíaco.
É óbvio, por questões de manipulação, que a maioria das religiões nega esta verdade de maneira peremptória. O que seria delas se nós aprendêssemos a cuidar de nós mesmos?
Com esta verdade -a de passarmos por todo o zodíaco-, incluída entre as demais, suas várias dúvidas começam a ficar esclarecidas de forma cristalina e deixamos de ser robôs em várias situações, onde antes acreditávamos que fora mera coincidência quando a pessoa chegava logo após pensarmos nela, ou quando algo que muito queríamos se realizara. E assim por diante. Ou você acha que as desigualdades se dão por um simples acaso?
De qualquer forma, religiões à parte, cabe a cada de um de nós escolher o que aceita como verdadeiro, ou não, para a nossa jornada atual. Não há como impor. Não há como sugerir. As pessoas simplesmente crêem naquilo que estão preparadas para acreditar e cada um tem a sua forma e jeito de ser.
Uma coisa é certa: queremos sempre permanecer em nossa zona de conforto e pensamos que nela se encontram todas as respostas. Ledo engano.
Eu aceito e defendo que passaremos por todos os signos. Isso me permite ver a vida de uma maneira muito clara e entender todas as diferenças que nela existem. Somos e sempre seremos um planeta de desigualdades. É assim que se expurgam os karmas. Hoje sou branco, por exemplo. Se tiver atitudes racistas, amanhã, em outra vida, fatalmente meu corpo será amarelo, pardo, índio ou negro. Tudo vai depender de como me comporto agora e quais eventuais karmas estarei criando nesta vida, de acordo com meus julgamentos e minha postura contra este ou aquele ser humano.
A essência não tem cor.
Tudo na vida é Causa e Efeito. Ninguém precisa ser protegido de nada. Na realidade, temos que nos superar. Esta é a lei da vida e do Universo. Ele está em constante MUTAÇÃO.
Como me referi acima, em cada signo aprenderemos como conviver com algumas posturas e vícios comportamentais. O libriano (eu sou libriano) precisa aprender a ser equilibrado. O Libriano é um ser humano que tende a ser muito extremista. Quando ama, confunde este sentimento com paixão. Quando não gosta, confunde com repulsa e assim por diante. O libriano precisa aprender a se dominar. Este é o meu atual desafio. Domínio do meu Eu atual pelo eterno EU.
Não é por acaso que o Canceriano é tão sensível. Ele precisa aprender a ser forte. O Leonino vem aprender a servir e a não ser um serviçal. O geminiano tem o desafio de decidir e não ficar pensando em hipóteses...
No entanto, em cada uma de nossas vidas há um sentimento que nos acompanha: o APEGO.
Cada signo mostra esta característica com maior ou menor intensidade, mas invariavelmente ele está ali, atuante e forte... e como se sofre com ele quando não temos consciência de como se deve amar! As pessoas são como são e não como gostaríamos que fossem.
Nós nos apegamos às pessoas, aos animais, aos objetos, mas muito pouco conosco mesmos. Nós não somos consequência de algo, ou de alguém. Somos causa e efeito de nós mesmos. É conosco que deve permanecer o maior Apego.
Sou contra as religiões porque elas fazem de tudo para que sejamos reféns delas e de suas idéias manipuladoras, controladoras e financeiras. Quem consegue, desta forma, aprender a ter iniciativa e efetivamente chegar a se superar?
Em um texto que escrevi sobre saudade, associei-a ao apego. Meu Mestre, sempre que me descuido neste sentido, mostra-me que estou apegado. Isso é coisa muito humana, ele me diz. Mas gera sofrimento. O efeito do Apego é o sofrimento.
Uma amiga me enviou um e-mail recentemente fazendo referência a uma frase que escrevi em seu diário: Cada um de nós é um ser divino em formação, portanto, cada um tem o seu vento...
E ela acrescentou: Quando enfrento uma notícia triste com pessoa da família, do meu coração - meu filho... Ah! Como eu queria que esse vento fosse diferente...
Na realidade, tudo o que nos acontece em uma vida é um teste. O que mais se repete é o que mais temos que aprender. Devemos tirar lições de tudo e em tudo.
Apego é algo forte, mas tão forte, repito, que ele se faz presente em cada uma de nossas vidas.
Aprender a conviver com ele é o mesmo que precisamos assimilar com relação ao dinheiro. Existem regras que sempre estarão presentes em uma vida.
Apego e dinheiro são os nossos companheiros inseparáveis em nossa evolução e em cada uma de nossas vidas.
Não podemos e não devemos ser reféns do apego. Sei que é fácil escrever, falar e eventualmente até fazer discurso, mas se o controle do apego fosse um aprendizado fácil não o teríamos como companheiro, vida após vida. Isso fatalmente vai se repetir até que tenhamos aprendido e conseguido atingir o ápice da evolução humana aqui no planeta Terra, ou seja, no útero do Universo.
APEGO é sinônimo de problema. Apego é sinônimo de fraqueza. Apego é, acima de tudo, sinal de pouca ou nenhuma evolução.
Ele exige uma luta diária contra nossos vícios e hábitos materiais.
Sei que nos veremos.
Cuide-se
Beijo na alma
Saul Brandalise Jr., autor do livro
“O Despertar Da Consciência”

Share/Bookmark

3 comentários:

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

"Na realidade, tudo o que nos acontece em uma vida é um teste. O que mais se repete é o que mais temos que aprender. Devemos tirar lições de tudo e em tudo." Patrícia, que texto inteligente, crítico, objetivo e lúcido! Adorei! Beijo.

Rejane de Fátima Pedrosa Ramos disse...

Mais que maravilhoso texto!!
Patricia, tem um selinho para você em meu BLOG e com muita satisfação.
Bjs
Rejane

Carpe Diem disse...

Adorei este texto fantástico!!!
beijo