16 de abril de 2011

EU SOU UM SER DE PAZ


 
Paz é o meu estado natural.
O ponto de referência do ser
que serve para medir o que não é paz.

Assim como a febre indica um quadro
anormal no corpo, a perda da paz mostra
que o ser está desequilibrado.
A temperatura alta denota a luta
do organismo para expelir algo estranho,
que não lhe pertence.

Do mesmo modo, a falta de paz não é
uma simples luta contra os elementos
que se infiltram no meu mundo interior
e começam a esquentar-me.
É a própria paz que reside em mim que diz:

"Você não faz parte da minha natureza.
Por favor, saia daqui!"

Por que não posso reconhecer que possuo
um termômetro embutido em mim que me diz
que uma situação é boa ou ruim,
violenta ou pacífica, doce ou amarga?

O que isso pode ser, exceto a voz
do meu estado natural que exerce
seu poder de discernimento?

A tensão da briga entre o natural
e o estranho cria o barulho dos pensamentos,
que não me permitem perceber
o pano de fundo de silêncio.

Não importa quanto as pessoas e as situações
me puxem para fora do barco
da evolução espiritual,
preciso me segurar ao mastro da paz.
Ken O'Donnell

Share/Bookmark

Nenhum comentário: