22 de outubro de 2011

ANSIEDADE POR PERDA DE CONTROLE



A outra espécie de perda que produz ansiedade é a perda de controle. Seja o poder, o dinheiro, a posição, a influência ou o título o que mais valorizamos, poucos dentre nós parecemos tão infelizes ou desesperados como as pessoas “controladoras” que sentem que estão para perder o controle.
As pessoas que receiam perder o controle são aquelas que fazem questão de estar no controle o tempo todo. Vivem pelas regras. Sentem-se mais à vontade quando conhecem os limites preciosos de uma dada situação. Só conseguem relaxar quando estão seguras de que compreendem como é que tudo se ajusta. Mesmo assim, elas podem estar à procura de coisas que poderiam estar indo mal; inventam, então, rotinas...  fora da rotina, a serem cumpridas para terem certeza de que o que não andou errado até agora, não andará. Quando as coisas começam mesmo a ficar fora de controle, tais pessoas têm a tendência de ficar cada vez mais envolvidas nas regras e detalhes do sistema, e começam a respeitá-los com um ar de permanência ou mesmo, religiosidade. Imbuem-se de uma qualidade ritualística ou mágica num esforço para exorcizarem sua ansiedade. Consideremos uma mulher ou um homem que faz uma lista de compras por colunas, para que elas correspondam às gôndolas do supermercado, que mantém a casa impecável, que paga as contas com a máxima pontualidade, cujo talão de cheques tem os canhotos exatinhos até os mínimos centavos, cujo calendário é planejado com meses de antecipação, com o que até o desconhecido é mantido sob controle. Será que esta pessoa está mesmo com o controle?...
Na verdade,  para muitas pessoas controladoras, a ordem e a rotina a que se apegam parecem mais importantes que seus sentimentos. Por ser a perda do controle tão aterrorizante, elas tentam controlar as peças de seu mundo em detalhes cada vez mais compridas e minuciosas, mantendo a casa ou o escritório ainda mais limpos do que já são. Melhor seria admitirem que se sentem magoadas e ansiosas, e entenderem que é isso que as faz perder o controle. Quando você experimenta um sentimento sem o esconder, ele passará mais depressa e menos o exaurirá.
David Scott, in
A linguagem dos sentimentos

Share/Bookmark

Um comentário:

Renata D Carpe disse...

Nossa atitude de querer controlar, dominar atrapalha. Queremos controlar, pontuar o comportamento das pessoas, o resultado de tudo, quando na verdade, o exercício da maturidade é justamente saber lidar com as próprias frustrações, é saber lidar com a incerteza do que irá nos ocorrer daqui a pouco. Mas mesmo sabendo disso, a gente assume vez ou outra uma postura de fiscais da vida querendo analisar os mínimos detalhes, quando na verdade, isso não é o mais importante.