27 de novembro de 2011

CREIO EM MINHA ALMA


 
 Mark Garro


Creio em você, minha alma,
o outro que sou não deve
rebaixar-se a você,
nem você deve rebaixar-se ao outro.
Folgue comigo na grama,
afrouxe o nó da garganta,
nem palavras, nem música, nem rima
estou querendo,
por melhor que seja;
eu gosto é do acalanto
do murmúrio da tua voz.
Lembra uma vez, como nos espichamos
numa certa manhã de verão transparente,
como forçaste a cabeça nos meus quadris
e me rasgaste a camisa no osso do peito
e enfiaste a língua no meu coração nu
e foste assim até tocar-me a barba
e foste assim até tocar-me os pés.
Docemente cresceu e se espalhou
em torno de mim a paz-sabedoria
além de todo o argumento da terra,
e eu sei que a mão de Deus
é promessa da minha,
e eu sei que o espírito de Deus
é irmão do meu,
e que todos os homens já nascidos
são também meus irmãos
- e as mulheres, irmãs e amantes minhas -
e que o esteio da criação é o amor
e ilimitadas são as folhas secas
ou caídas nos campos...

Walt Whitman 

Share/Bookmark

2 comentários:

Cris Tarcia disse...

Patricia, que lindo!

Beijos e uma linda semana

LUCONI disse...

Patrícia extremamente lindo, li e reli, parabéns pela escolha, beijos Luconi